ANÁLISE DO SALMO 23


SALMO 23: SUA ESTRUTURA

 

O Senhor é meu pastor
23 (22)
[Salmo de Davi.]
 
O SENHOR é o meu pastor, nada me falta.
Ele me faz descansar em verdes prados,
a águas tranquilas me conduz.
Restaura minhas forças,
guia-me pelo caminho certo,
por amor do seu nome.
 
Se eu tiver de andar por vale escuro,
não temerei mal nenhum, pois comigo estás.
O teu bastão e teu cajado me dão segurança.
 
Diante de mim preparas uma mesa
aos olhos de meus inimigos;
unges com óleo minha cabeça,
meu cálice transborda.
 
Felicidade e graça vão me acompanhar
todos os dias da minha vida
e vou morar na casa do SENHOR
por muitíssimos anos.
***

 

Utilizo aqui a tradução da CNBB.
 
Como todos os salmos, esse é escrito em forma poética, conforme a estrutura hebraica de poesia.
Como se percebe, distribuí o salmo em quatro estrofes (como usamos fazer em nossas poesias), como algumas versões já fazem. Registro que, na Bíblia da CNBB e em outras, os versos não têm essa separação por estrofes, pois os manuscritos também não utilizavam esse recurso. Note-se, ainda, que excluí a numeração dos versículos.

 

A ESTRUTURA DO SALMO

Podemos dividi-lo em três partes:

1ª - A travessia;

2ª - A chegada;

3ª - A síntese.

 

1 – A TRAVESSIA

A primeira parte do poema (a primeira estrofe) fala da caminhada, viagem, travessia que se faz guiado pelo pastor.

Começa com uma afirmação sobre a confiança que o pastor inspira: “nada me falta”. Depois descreve como o pastor conduz: para verdes pastagens, até águas tranquilas, por caminhos certos.

A segunda estrofe ainda fala da travessia, mas lembrando que a vida não é só “verdes pastagens”, mas também veredas tenebrosas. Contudo, como a ovelha confia no pastor, não precisa ter medo, pois o cajado do pastor lhe dá segurança. Esse cajado (bastão, bordão) ajuda o pastor a se escorar en quanto caminha, mas também serve como arma ou com instrumento para ajudar a retirar ovelhas que caiam em buracos ou despenhadeiros.

Note-se que há nesta estrofe uma mudança na fala do poeta. Na primeira estrofe, ele descreve para os outros a atividade do pastor. Na segunda, em que fala do “vale escuro”, dirige-se diretamente ao pastor, como que fazendo um apelo ao próprio pastor para que ele não esqueça a ovelha que está conduzindo, como se fosse a ovelha balindo assustada no meio de um lugar perigoso.

 

2 – A CHEGADA

Na terceira estrofe, encontramos uma cena diferente: não mais uma estrada, uma viagem, mas um banquete.

Repare que o poeta continua a falar com o pastor (segunda pessoa: tu "preparas"...). Só que o pastor agora se tornou o hospedeiro, pois chegamos na casa, no palácio, na fazenda do pastor, onde a ovelha é acolhida.

Portanto, é o término da travessia. Após atravessar por vários caminhos, mais fáceis ou mais complicados, o pastor conduziu a ovelha, sã e salva, até seu palácio.

Agora, essa ovelha participa de um banquete e os inimigos não poderão mais prejudicá-la e ainda ficarão morrendo de inveja, pois o banquete é bem na frente deles para mostrar a eles sua importância.

E a ovelha não está ali como qualquer um. Ela não é um empregado ou servente. Nem é mesmo um convidado qualquer; é um convidado de honra, pois o pastor unge sua cabeça, conforme as regras de etiqueta para convidados especiais. Além disso, "ungir a cabeça" remete para uma cerimônia muito especial: a unção do messias, a cerimônia de consagração dos reis de Israel. Por isso, agora se trata de uma pessoa consagrada dentro do palácio do pastor.

Fechando com chave de ouro: agora ela poderá comemorar com vinho em abundância, pois se trata de uma festa completa.

 

3 - A SÍNTESE

A última estrofe, como se vê bem, é uma síntese de todo o poema.

Observe que o poeta volta a falar para os outros, não mais no diálogo direto com o pastor.

Os dois primeiros versos resumem as duas primeiras estrofes: a felicidade e a graça (amor) estarão comigo durante minha vida, pois é o SENHOR que me guia.

Os dois últimos versos resumem a terceira estrofe: vou morar sempre na casa do SENHOR (IAHWEH), porque lá eu sou especial, lá é seguro e lá é que a festa é boa.